domingo, 9 de maio de 2010

A Capela Sistina e Michelangelo



Michelangelo foi um dos gênios transdisciplinares que viveu na Renascença, movimento cultural e urbano que teve algumas cidades italianas como Florença como o seu berço.
Ele se destacou como desenhista, como escultutor, como pintor... Isso mostra que diversos foram os veículos de Arte utilizados por ele.

Eu tive o prazer de ver, pessoalmente, algumas das mais famosas obras de Michelangelo, dentre as quais cito: o emblemático Teto da Capela Sistina; a comovente Pietá localizada na Igreja de São Pedro, do Vaticano; e o enorme David, que fica estrategicamente localizado ao final de um corredor da Galleria de la Accademia, em Firenze.

Neste Post vou tratar especificamente da Capela Sistina.

Registro que há um longo percurso a ser percorrido a ser traçado nos Museus do Vaticano para que finalmente a Capela Sistina seja alcançada pelos visitantes.

No trajeto fui tomada por uma grande expectativa, por um indescritível assombramento com a riqueza dos bens expostos e pela curiosidade e pela imaginação do que guardam os Jardins do Vaticano, dos quais nós, "simples mortais", podemos ver apenas pequenos lampejos poelas janelas do referido museu.

Ao chegar à Capela Sistina,"câmara secreta" construída para servir como um forte, caso o Vaticano viesse a ser invadido, eu fui tomada pela emoção e pelo assombro de uma obra que permite, de alguma forma, que seu artista subsista à passagem dos séculos.
O teto da Capela Sistina levou anos para ser completamente pintado por Michelângelo. Dentre todas as figuras ali retratadas, a mais famosa é a da criação de Adão. Mas há outras que merecem apreciação.

Ainda sobre o Teto da Capela Sistina, tive a honra de, recentemente, assistir a uma palestra de Gilson Barreto, médico brasileiro que publicou um livro relatando que em cada uma das cenas retradadas por Michelângelo no teto da Capela Sistina, há uma parte do corpo humano detalhadamente representada.

Gilson Barreto falou, por exemplo do "contorno da nuvem" em que Deus e os anjos estão localizados no quadro da Criação de Adão. Em virtude de sua interpretação, ele disse que percebeu que o contorno "da nuvem" se assemelha ao contorno de um cérebro humano, em corte lateral; e que com o dedo de Deus quase tocando o dedo de Adão é como se Deus transferisse o intelecto ao homem.
Ele abordou, também, o altar da Capela Sistina, pintada por Michelângelo anos depois.
Disse que, como se tratava de uma obra encomendada, tinha que representar ali o Juízo Final e não poderia assinar a obra. Entretanto, segundo o entendimento de Gilson Barreto, Michelângelo "assinou" a obra ao se auto-retratar no altar, apenas "em pele", junto a São Bartolomeu.

Registro, ainda, que a Palestra de Gilson Barreto foi ótima! Como ele faz palestras pelo Brasil, recomendo a quem tiver a oportunidade, que não deixe de assisti-la. E, para quem quiser saber mais sobre o livro dele, recomendo!

Capela Sistina
Museus do Vaticano
Roma

A Arte Secreta de Michelângelo, Palestra de Gilson Barreto; e
A Arte Secreta de Michelângelo, de Gilson Barreto e Marcelo Ganzarolli Oliveira, Editora ARX, 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário